segunda-feira, novembro 24, 2008

Texto de um amigo sobre a Igreja de Valongo

Igreja de São Vicente de Valongo (Montoito) - Onde Falha a Responsabilidade Social e Cultural

Numa visita à Igreja de São Vicente de Valongo, junto a Montoito, vi algo completamente inesperado: Uma igreja que foi comendatária da Ordem de Malta que conserva ainda a capelita baptismal com frescos datados de 1609, encontra-se bastante degradada e alberga uma pocilga de porcos.

O cenário era aterrador. Não obstante o estado de degenerescência quase absoluto em que se encontra a referida igreja, encontramos naquele cenário deprimente uma vara de porcos chafurdando nos seus próprios detritos, formando um fértil chiqueiro, onde se realça o cheiro nauseabundo que ali se produz

Ainda hoje podem ser vistos no seu antigo altar, alguns frescos que o tempo vai apagando.

Uma particularidade desta igreja, pela informação que consegui obter, é ser de propriedade privada. A questão que se põe é muito simples: Onde está a responsabilidade social e cultural dos seus proprietários?

Será legitimo deixar degradar este património com 400 anos (que de certa forma pertence a todos) sem que ninguém faça nada?

Será legítimo aos seus proprietários deixarem ruir um património desta relevância? Ou será que, não havendo capacidade própria para o mesmo ser preservado, deverá ser entregue às entidades estatais para que o possam salvar?

Será que o IPPAR não estará interessado em resolver estas situações, ou apenas vai fechando os olhos para não ter mais assuntos para resolver?

Será que as autarquias não deveriam ter um papel mais activo nestas matérias? De denuncia, provavelmente.

Deixar ruir estas preciosidades é permitir que a nossa identidade seja posta em causa. Não gostei do que vi, por isso decidi denunciar esta situação particularmente grave.

Decidi deixar este texto aqui para que este mau exemplo não sirva de incentivo a outros que vão passando incólumes por aí fora. Também no nosso concelho


António Costa da Silva
Enviar um comentário